8.9.06

HOMENS RECOMENDAM-SE...



Talvez por influência das minhas escolhas musicais para este verão, dei por mim a pensar, vezes sem conta, numa pergunta que me fazem insistentemente, sobretudo da imprensa estrangeira: “Porque há menos homens a cantar o Fado?”. Ou, como costumo corrigir, “Porque são os fadistas masculinos menos populares, sobretudo no estrangeiro?
Em Portugal não falta, garantidamente, reconhecimento a fadistas da envergadura de um Carlos do Carmo ou de um Camané. Mesmo sendo de gerações bem diferentes e percursos incomparáveis, são incontornáveis enquanto referenciais de excelência.
Mas no que toca a circuitos que se dirigem maioritariamente a público estrangeiro, já surge claramente um conhecimento menor do universo masculino do Fado, mesmo daqueles por quem temos, por cá, a maior admiração.
Dos mais reconhecidos aos mais desconhecidos, a vantagem numérica é insistentemente das mulheres; o que me faz, confesso, alguma confusão, tanto mais que são inúmeros os nomes que me ocorrem, de repente, de homens com uma expressão e personalidades marcantes e dificilmente ignoráveis.
Não pretendo aqui desvendar o mistério. A minha intenção em trazer esta questão à liça é a de, simplesmente, convidar-vos a conhecer algumas das excelentes vozes masculinas e do bom trabalho que fazem. E – provavelmente - do melhor que ainda podem fazer, se o público e todos aqueles que de alguma forma ajudam a promover e divulgar a música portuguesa também estiverem atentos e disponíveis.
Vale mesmo a pena ouvir Helder Moutinho – “Luz de Lisboa” ou o concerto “Maldito Fado” (apesar da nossa longa amizade e anos de trabalho em conjunto, está livre de suspeita a minha recomendação: canta como poucos, ama e conhece o Fado como ainda menos que poucos!); ouvir seguramente Marco Rodrigues – “Fados da Tristeza Alegre” (um timbre impressionante, um álbum que cativa…); António Zambujo – “O Mesmo Fado” ou “Por Meu Cante” (prova viva de que um homem também “chora” a cantar…).
Desfrutem!

8 Comments:

At 3:46 da tarde, Anonymous António said...

Homens recomendam-se…

Ora aí está um título sugestivo que nós, homens, registaremos com muito agrado.
:-)

Estou, normalmente, atento à excelência de muitos cantores de fado, de que a Mafalda aqui nos dá alguns exemplos muito sugestivos e interessantes.

Estarei ainda mais atento a esta realidade masculina, se assim me é permitido dizer, com tantos intérpretes que, estranhamente ou não, não têm de facto expressão adequada, sobretudo em palcos e públicos estrangeiros.

Não consigo também desvendar o “mistério”!!
:-)

Mas vou ouvir, cada vez com maior atenção, esses fadistas que tão bem nos transmitem a inteireza, o sentimento e a verdade indeléveis que se encontram presentes nas suas palavras e na sua musicalidade.

abraços

ANTÓNIO

Ps: Cristina, um beijo para ti, obrigado pelas tuas palavras e aparece sempre.
È bom.
:-)

 
At 1:29 da tarde, Blogger Miúdo said...

Olá Mafalda! Estás de parabéns, pela pessoa que és, pelo excelente site e blogue.

Beijos do pessoal do norte
VdR

 
At 1:26 da manhã, Blogger Rui said...

Olá.
Num mundo cada vez mais globalizado, é paradoxal a facilidade e dificuldade de encontrarmos este tipo de música disponível para ouvirmos. Aqueles que souberam apreciar muitos outros estilos de música chegam com os ouvidos mais sensíveis ao fado que no estrangeiro tem o ponto de partida como world music. Aqueles que ainda não se tornaram sensíveis a este tipo de música, apreciarão outros géneros musicais em que a voz masculina é a mais promovida.
Geralmente procura-se realmente uma alternativa aos géneros anglo-saxónicos cada vez mais fragmentados, algo mais sensível e harmonioso e a voz feminina num estilo mais tradicional acaba por ir de encontro a essa procura.
Se se for a ver em termos de público que ouve fado, no estrangeiro este é culturalmente muito desenvolvido. Em Portugal, temos dois públicos, o do fado tradicional (que ouve tanto fadistas homens como mulheres), e o do novo fado (mais parecido com o público do estrangeiro). O do novo fado procura a alternativa.

Quando é o próximo concerto da Mafalda?

Cumprimentos,
Rui Pereira

 
At 1:51 da manhã, Blogger BMA said...

Caro Rui,
O próximo concerto da Mafalda terá lugar a 24 de Setembro, em Las Palmas - Gran Canaria.

 
At 7:15 da tarde, Blogger Rui said...

Os proximos concertos em Lisboa e Cascais estão anunciados no site e estão indicados como privados. O que quer dizer? Que não podem ser acedidos pelo público em geral? Se não, porque foram anunciados no site?

 
At 7:52 da tarde, Blogger BMA said...

Caro Rui,
Os dois concertos a que se refere são de facto privados, assim chamados quando contratados por empresas/entidades para eventos institucionais, normalmente limitados a convidados.
O sítio internet da Mafalda é consultado tanto por particulares como empresas e instituições.
Por isso, na secção de agenda, são referenciadas as datas de todos os compromissos artísticos da fadista.
Desta forma, o público em geral fica a par dos concertos de acesso livre, sejam eles gratuitos ou com bilhete de ingresso.
E todos os agentes interessados em contratar a fadista para eventos privados podem, desde logo, ficar a saber quais as datas nas quais Mafalda Arnauth já tem compromissos prévios.
A informação sobre espectáculos privados e públicos é também útil, designadamente, para jornalistas.
Por tudo isto, todos os concertos (e algumas participações em programas de TV de especial relevo) têm lugar na referida secção de agenda, desde que o sítio internet foi (re)inaugurado.

 
At 9:28 da tarde, Blogger Pinguimcris said...

Já tive a oportunidade de ouvir o cd do António Zambujo, na altura em que foi lançado e agradou-me bastante.

No entanto, admito que salvo as grandes excepções, Carlos do Carmo e Camané, ainda não me consegui deixar encantar por mais nenhum fadista no masculino. Continuo a gostar e a comprar muitos mais cd's de fadistas no feminino.

Beijos
Cristina

 
At 10:49 da manhã, Anonymous Filipa Silva said...

Bom dia a todos!
O tema é delicioso e pode ser pegado desde o tempo do retrato do Malhoa: A Severa. A. Ela, e não ele.
Gosto dos dois incontornáveis referidos, como não podia. Até compro CD's dos senhores e envio aos amigos espalhados noutros cantos do Mundo, que não falam Português mas que sabem cantar a marcha do Bairro Alto! Também da Mafalda já receberam.
Mas sem dúvida que a imagem da mulher aqui é talvez um factor importante.
A mulher vende tudo e de tudo, a todos.
A mulher compra.
O homem muito menos.

De entre os nomes já referidos gosto muito também de outros quantos, como é o caso de um "bando" à solta de Ribatejanos, encabeçados por João Chora.
Até o Paulo de Carvalho a cantar fado me encheu as medidas.
E muito também de outros que já não vivem. Só as vozes.
O Fernando Maurício.
O Vasco Rafael.
O Carlos Ramos.
Outros tantos.
Mas nas memórias vão ficar mais as mulheres.
E vão ser mais elas a mostrarem o fado.

 

Enviar um comentário

<< Home