1.12.05

Showcases FNAC



Mafalda Arnauth continua a apresentar o seu novo álbum, através de uma série de showcases nas lojas Fnac, seguidos de sessão de autógrafos. Depois da actuação no CascaiShopping, a 27 de Novembro, restam as seguintes actuações:

Lisboa
1 de Dezembro, 17h00 - Fnac Colombo
8 de Dezembro, 18h30 - Fnac Chiado

Porto
10 de Dezembro, 17h00 - Fnac Santa Catarina
10 de Dezembro, 22h00 - Fnac Norte Shopping

3 Comments:

At 4:55 da tarde, Blogger TsiWari said...

10 de Dezembro...apontando...
a ver se espreitarei.

 
At 6:59 da tarde, Blogger Pinguimcris said...

Acabo de chegar do showcase da Fnac Colombo. Como sempre a Mafalda esteve linda e cantou maravilhosamente.
É mesmo muito bom ouvi-la cantar ao vivo! Quem tiver oportunidade de assitir a um concerto ou mesmo que seja a um showcase, vale muito a pena.
No entanto quero manifestar o meu descontentamento pelo facto de a Mafalda não ter cantado a música «Para Maria» (eu sei que não foi culpa da Mafalda, mas não deixo de ficar triste...).
Finalmente, quero agradecer a simpatia e a forma carinhosa com que a Mafalda comunica com as pessoas que gostam dela.

Bjs
Cristina

P.S. Gostava de fazer um pedido para o próximo showcase no Chiado... Canta a música «Por dentro de mim» ;-)

 
At 7:02 da tarde, Anonymous Raquel said...

Agora que ja falei uma primeira vez, ja posso "entrar" nesta casa... Ja era para ter falado ha um tempo atras mas a Mafalda fugiu do sitio a sete pés...fugiu literalmente! Sem querer cheguei a Fnac um bocadinho cedo e até isso foi como tinha de ser...la estava a Mafalda a mostrar a cumplicidade com os musicos: por trás deles punha um rato(era um rato?) em borracha em cima do ombro deles, quando supostamente era a parte do check-sound... E desta vez nao a deixei fugir. A mafalda é uma filha da Vida, dessas raras de se encontrar e que quando existem, quase sempre se vao perdendo no caminho e até na musica. Trespassa Verdade e mostra-a de uma maneira que só quem nasceu do mesmo ventre a reconhece.
Do Diário aplaudo de pé "o que tinha de ser", "milonga do chiado" e "la bohème". Foram o abrir de asas e o romper do preconceito que existe no mundo do fado. Há algo muito acima do puritismo e o importante é mesmo o conteúdo e nao a roupagem feita para os targets. Aplaudo também de pé a coragem desde logo muito cedo da composiçao, escrita e produçao! E é aqui que reside a diferença, este conhecimento de musica ao compor e produzir, e da natureza do pensar ao escrever, que se faz a magia e encanto!
Boas vozes de grandes virtuosismos e maquinas promocionais há muitas e isso vai indubitavelmente perdendo importancia. É toda esta "Forma" que faz perdurar os verdadeiros artistas e a Mafalda tem-na toda!

 

Enviar um comentário

<< Home