5.12.05

UM GINÁSIO PELA MINHA VIDA



Tenho de confessar que não sou a melhor advogada desta causa, mas não posso só recomendar coisas saudáveis de vertente pró-preguicite-aguda e - para tantos - crónica…

Certo é que os benefícios do movimento são tantos, já por mim comprovados em fases de maior dedicação que me sinto, nesta fase, no pleno da coragem para criar um compromisso com as passadeiras, os steps, os abdominais (excluindo os pesos, pois não há determinação que me convença a abraçá-los…) e claro, algumas horas de Yoga, Pilates ou Tai-chi.

Acredito realmente que um artista, no meu caso, um cantor, também é um atleta. A violência física de tanta viagem e agitação precisa, realmente, de um reforço especializado, principalmente quando as caminhadas (que eu tanto gosto de fazer onde quer que esteja) não são compatíveis com o Inverno que já se instalou. Imaginem a tour da Holanda, com graus negativos e neve por todo o lado e eu enrolada em casacos e cachecóis, a rezar para que o frio não me faça estragos, pelo menos, nos próximos 57 concertos até ao verão…

Vivemos no tempo da vaidade, das dietas exacerbadas e dos ginásios tonificares dos músculos alvos de atenção pública. Nem vou fazer referências às cirurgias ou transformações hardcore que em geral, em nada me atraem. Mas porquê confundir saúde com vaidade? Principalmente porque, se estivermos mais fresquinhos e sãos, estaremos inevitavelmente mais bonitos e garbosos. Assim sendo, porque não unir o útil ao agradável, com um bocadinho de esforço recompensado largamente pela sensação de um “templo” vibrante e que coopera connosco, que é o nosso corpo?

Isto continua a ser alvo de uma grande procura da minha parte: não imaginem que já atingi, em pleno, este equilíbrio que defendo… Mas asseguro-vos que, enquanto fumadora reformada e preguiçosa de militância duvidosa, nenhuma inspiração de nicotina relaxante nem as inúmeras horas de ócio altamente viciante que experimentei se comparam ao êxtase de uma hora de oxigenação profunda e tão pura quanto os dias de hoje e os ares condicionados nos permitem. Porque as primeiras adormecem-me, enquanto que as últimas despertam-me e abrem-me os sentidos para a vida. E eu continuo a gostar de viver…

2 Comments:

At 12:54 da tarde, Blogger Pinguimcris said...

Eu apoio totalmente esta causa. Acho que o exercício físico é uma excelente terapia para a tensão e o stress do dia a dia.
Acabei de chegar de um jogo de ténis e posso confirmar que me sinto muitíssimo bem :-)

É um excelente conselho para todos!

Bjs
Cristina

 
At 5:02 da tarde, Anonymous Mike said...

A Mafalda, eu penso que um gym home é uma idéia grande. Especial quando você necessitar começar ausente e pensar no seus próprios. Eu espero que trabalhe bem para você durante sua dentro sua vida ocupada. Eu sei que I certo poderia usar um eu mesmo.

From
Mike

 

Enviar um comentário

<< Home