29.12.05

QUE GRAÇA TEM O SOLAR...



Fui apenas uma vez na vida aos Açores. Com esta, foi a segunda visita e não resistimos, felizmente, a uma curta “passeagem” pela ilha, magnífica, verdejante, a respirar as quatro estações do ano (literalmente) … E assim parecíamos nós!
O concerto decorreu num restaurante muito bonito, Solar da Graça, para uma festa de Natal privada do Centro Cultural e Desportivo dos trabalhadores de aviação Comercial dos Açores.
Antes do concerto, deu-nos uma “fúria” musical e estivemos entretidos com muitas coisas bem antigas, principalmente tradicionais. Quem sabe, em breve, temos o Diário-volume II…
Claro que depois deste aquecimento, o concerto começou a levantar voo, o que é perfeitamente adequado para o publico em questão… Tivemos, curiosamente, uma mesa de jovens que nos deu um certo trabalho a serenar, mas que assim que foram convocados a cantar sozinhos, responderam de forma simpática e perceberam o que é ter muitos olhos postos neles! O concerto acabou em franco convívio com os açorianos a revelarem toda a sua hospitalidade e carinho e apetência fadista.
A seguir abriram o baile, fenómeno cada vez menos visto - e tive direito a uma valsa com o Presidente, para abrir as “hostilidades” em beleza.
Depois, deram-nos uma salinha para a ceia e a festa foi total!!! Os meus mosqueteiros são bravos bailarinos e estiveram à minha altura nos tangos, nas valsas e até nos ritmos mais modernos… e principalmente nas gargalhadas, que têm sido uma constante com esta nova pandilha!
Fechou o ciclo de concertos para este ano e fica, no ar, o saldo positivo de muita coisa boa trocada. Muita mudança, recompensada com excelentes novas amizades, muita viagem com recordações para sempre, um disco que recheia os concertos de muita emoção e garra…
Sabem que mais? Quando olhei para a Lagoa gigante das Furnas, senti-me parecida, imensa, mais rica, rodeada de coisas belas que agradeço com todas as minhas forças… e para sempre!


1 Comments:

At 12:00 da tarde, Anonymous António said...

Para a Mafalda,


Que esta viagem fantástica que connosco tem partilhado ao longo de muitos momentos, se prolongue no tempo e no espaço do sorriso, da dádiva, da entrega mútua de muito daquilo que vem mesmo “cá de dentro”.
Existem sorrisos que fazem amanhecer madrugadas, há palavras que na sua doce simplicidade fazem correr um rio límpido de ternura, despontam gestos que nos revelam pontes de esperança.
Existem momentos irrepetiveis, pessoas inolvidáveis, pedaços de vida que verdadeiramente nos fazem chegar ao fundo de nós mesmos, àquele pedacinho bom que cada um de nós, seguramente, tem.
Que um muito de tudo isso, seja o pão e a água, o vento, o sol e o sal de um ano novo que seja mesmo um novo ano.

Obrigado por tudo.
Beijinho e um sorriso, deste que se assina,
:-)

António

 

Enviar um comentário

<< Home