9.3.06

ESTOU AQUI!!!

MEUS QUERIDOS AMIGOS!!! Eu estou realmente aqui, apesar da ausência nesta casa e da impossibilidade de mandar novidades (que faço agora a horas a que nem me atrevo a confessar). Mas não quero deixar passar nem mais um minuto para um breve alô!

Antes de mais, uma palavra para os inúmeros comentários em cadeia que demonstram, acima de tudo, que a vossa dedicação não esmorece e que o diálogo realmente acontece neste blogue. É interessantíssima a troca de ideias que se vai gerando à volta dos mais diversos temas, com concordâncias ou não, mas é assim que damos o sal e a pimenta à vida.

Quanto a mim, que tenho feito? Imaginem voltar a casa e termos de reconhecer cada canto, cada sensação, digerir o que foi acontecendo, recuperar da VIOLÊNCIA de tantos concertos, continuar a fazer concertos, enfim, PÔR A CASA EM ORDEM… Confesso que nem o meu cérebro supra-sónico consegue adaptar-se com a velocidade necessária mas, finalmente, a "rotina" entra nos eixos.

Desde o regresso, tive oportunidade de estar no programa da SIC, Contacto, servi de guia turístico para uma televisão francesa, na cidade de Lisboa e um pouco também em Vila Nova de Gaia, onde de seguida fiz um concerto, e houve ainda tempo para estar em Arcos de Valdevez a fazer o que mais gosto: cantar o meu fado!

Não posso deixar de realçar estes dois concertos que foram o acolhimento ideal para quem vem com tanta sede do público português. Se a Holanda é calorosa, atenta, curiosa; Portugal é o berço que nos embala. O concerto de Vila Nova de Gaia decorreu no auditório das Caves Calém, que foi pequeno para toda a gente que acorreu. O Diário voltou a acontecer em terras Lusas.

Quanto a Arcos de Valdevez, apesar da promessa de temporal, muitos foram os que quiseram fazer-nos companhia. E parece-me que a melhor imagem deste concerto nos foi generosamente oferecida pelo Alexandre Sá. Quando alguém me devolve um concerto desta forma única, que mais posso eu dizer?

É assim, com uma velocidade alucinante, que tudo continua a acontecer na minha vida. E é neste momento que as próximas palavras se tornam imperativas: referi mais do que umas vez a importância da vossa força e apoio; agora que a tour “já vai longe” gostaria que soubessem que nunca esquecerei o vosso contributo para um momento tão particular e a forma como ele me continua a inspirar.

Agradeço a todos, do fundo do coração, todas as mensagens que enviaram, flores que recebi, pensamentos que nos chegaram a todo o instante… Acredito que este laço irá ficar e fortalecer-se, com o passar do tempo. Por mais ou menos mensagens que troquemos, acredito que estaremos cá para irmos construindo um magnifico Diário de partilha e amizade…

Um beijo enorme desta vossa muito amiga…

7 Comments:

At 6:14 da tarde, Anonymous Rakel said...

É bom chegar aqui e ver-te!
Nos momentos de criatividade verdadeira, é preciso andar a 200%...e por nós vais continuar assim durante muito tempo...

Hoje estava num auditório com um Polaco ao lado, e num "tempo morto" começou a falar que lhe dá vontade rir quando ouve musica popular portuguesa: "like the one, óh malhao malhao... it's funny! When i came here i just knew Mafalda Arnauth, do you know who she is?"
Fiquei toda orgulhosa!!!! Como se a Mafalda fosse nossa... É um bocadinho, nao é?
**

 
At 3:13 da tarde, Anonymous Antonio said...

Olá Rakel!!
Sobre o teu comentário ao post anterior... :-)

"Jij bent fantastisch mooi, hoe je simpele dingen met zoveel tederheid zegt!!!"

Tradução holandesa de:

"és fantasticamente linda no modo como dizes coisas simples com tanta ternura!!!"...

(o meu amigo Bart tem tanta paciência!!!eheheh!!)

Por isso se, algures na Holanda, te disserem isto, já sabes, ok?!
:-)

E podes simplesmente responder:

"Bedankt, maar ik wist dit al!!!"

que é, apenas...

"Obrigadinho, mas eu já sabia!!!"

Apenas uma brincadeira, claro!!

Deixo-vos agora, do fantástico livro de Manuel Halpern, "O Futuro da Saudade",(leiam que vale mesmo a pena), uma definição, deliciosa, segundo Ramalho Ortigão, dos fadistas de outrora.

"..vive de expedientes da exploração do próximo. Faz-se sustentar, de ordinário, por uma mulher pública, que ele espanca sistematicamente. Não tem domicílio. Habita sucessivamente na taberna, na batota, no chinquilho, no bordel ou na esquadra da polícia. Está inteiramente atrofiado pela ociosidade, pelas noitadas, pelo abuso do tabaco e do álcool. É um anémico, um cobarde e um estúpido"
....
....
Definição nada abonatória para os fadistas de então, convenhamos...!
:-)

Apenas um fait-divers (desculpem o francesismo) que aqui vos deixo também, com um abraço para todos e um beijinho para a Rakel.

Sejam felizes!!

Beijinho também, claro, para a Mafalda!!

 
At 12:52 da tarde, Anonymous Rakel said...

Essa resposta, dá para tanta coisa... vai ser util!! :)

Sobre o livro, ja conheço. E até tive no lançamento, no Santiago Alquimista!! Eram só artistas por todo o lado, e adivinha quem estava mais bonita??!?
***

 
At 1:20 da tarde, Anonymous Antonio said...

A Mafalda?
Tu?

Agora deixaste-me baralhado!!!!
:-)

XXX

 
At 12:07 da tarde, Anonymous Rakel said...

Ora, a Mafalda claro!!!!!! :)

 
At 2:55 da tarde, Anonymous Antonio said...

A juntar às tuas reconhecidas qualidades, deveremos juntar agora a modéstia!!! - direi eu!
:-)

"Bedankt, maar ik wist dit al!!!" -responderás tu, certamente!
:-)

Prontos(...), em portolandês nos entendemos!!
:-))

(e a "culpa" disto tudo é da Mafalda, pois claro!!)

XXX

 
At 7:06 da tarde, Blogger callatrava said...

O que importa é que a Mafalda já está novamente entre lusos, e como ela disse, só temos é que ser o seu berço para descansar um pouco! Já que isto de levar um povo grandioso às costas, passo a expressão, tem muito que se lhe diga! Ou não acham?

 

Enviar um comentário

<< Home